Caixa atende Comissão de Jogos de Lotéricos

Comissão de Jogos de Lotéricos

Em dezembro do ano passado, mais especificamente no final do mês, no dia 30 de dezembro de 2015, a Comissão de Jogos da FEBRALOT, sindicato lotérico ao qual a SINCOESP também integra o grupo, entrou em contato com a GELOT (Gerência Nacional de Loterias), solicitando a autorização para o aumento da porcentagem de devolução das extrações previstas para janeiro e fevereiro em prol do bem-estar do lotérico, que poderia arcar com grande prejuízo provocado pelo encalhe referente aos dois meses iniciais de 2016.

Prezando pelo bem-estar da franquia, a GELOT junto à Caixa Econômica Federal autorizou o repasse do encalhe seguindo a orientação proposta pela solicitação feita pelos sindicatos lotéricos. Dessa forma as extrações de janeiro, isso incluso a Milionária, receberam a autorização de encalhe. A decisão tomada em conjunto após a troca de e-mails resultou em um excelente exemplo de trabalho coletivo em prol do mesmo objetivo proporcionado pela comunicação entre as duas partes, representada pela Caixa e pelos sindicatos.

 

O que motivou a solicitação do repasse de encalhe

images

Em fevereiro de 2015, mais especificamente no dia 13, a FEBRALOT entrou em contato com a GELOT e a Caixa alertando sobre um possível encalhe de 5% (Cinco por centro) previsto para as extrações de natal e ano novo. Porém, o questionamento não foi levado em consideração durante o planejamento do cronograma previsto para 2015.

Com pouco tempo para comercializar os bilhetes de Natal e Ano Novo, as lotéricas acabaram sofrendo com prejuízos 15% (Quinze por cento) maiores do que fora pré-estipulado anteriormente. Isso levou que a bolsa da sé- SP fixasse o valor de recompra em R$ 50,00, um preço 38% (Trinta e oito por cento) menor do que o valor original, que era de R$ 130,00. Por causa disso o prejuízo das lotéricas foi muito maior do que o previsto inicialmente.

O principal agravante que motivou a solicitação dos sindicatos foi um novo prejuízo sequencial que poderia ocorrer no início do ano, em janeiro e fevereiro. O início do ano sofre com muitos recessos em diversos pontos da economia nacional, com salva exceção do mercado turístico. Isso ocorre por causa das férias e começo monótono do ano, que diminui bastante as vendas de diversos setores pelo país. Com medo de sofrer um novo prejuízo agravante, FEBRALOT junto a SINCOESP entraram com o pedido de autorização, levando também em consideração os agravantes da crise econômica brasileiro, que era impossível de ser questionada durante o desenvolvimento do cronograma pré-estipulado em 2014.

 

A resposta da Caixa Econômica Federal e GELOT

Expondo os argumentos supracitados no subtítulo anterior, feitos pela FEBRALOT em conjunto da SINCOESP, o grupo de sindicatos entrou em contato com a Caixa Econômica Federal e GELOT através de uma carta virtual alegando o possível prejuízo e solicitando o seguinte desejo em nome dos lotéricos:

“Visto o exposto, nosso pleito é que a Gelot – CAIXA autorize em caráter de excepcionalidade para os meses de janeiro e fevereiro 2016 uma devolução a título de encalhe de 8%, nos bilhetes das extrações de sábados, evitando dessa forma que o lotérico sofra maiores prejuízos”.

Com ambas as partes entendidas sobre a situação agravante proporcionada pelo recesso de vendas ocorrido no início do ano, a Caixa Econômica Federal e GELOT concederam a autorização excecional. Confira o primeiro item do e-mail a seguir:

“1. Excepcionalmente, em função do exposto por este Sindicato e após nossas análises técnicas, autorizamos os encalhes para os sábados de janeiro, haja vista ser o período de menor movimento nas casas lotéricas e, no período de recesso no carnaval (negociado na reunião da Caixa com as Lideranças Lotéricas).”

 

 

 

Neimar Mariano de Arruda é Lotérico e Fundador da DouraSoft,
Administrador de Empresas, Consultor em Gestão Empresarial e
Especialista em Governança de Tecnologia da Informação
(67) 9.9698-3422

 

Deixe uma resposta