Caixa deve atuar em apostas esportivas

O superintendente de Loterias da Caixa, Gilson Braga, que também é um novo membro do Comitê Executivo da WLA (Organização Mundial de Loterias), considera que a loteria brasileira possui grande respaldo internacional e que a Caixa está esperando a regulamentação para saber como atuar no setor de apostas esportivas.

Braga tem participado de diversos eventos internacionais envolvendo loterias e afirma que as loterias federais brasileiras são consideradas como as mais sérias. Diante disso, diversos países têm interagido com a Caixa para conhecer os processos aplicados e os projetos para o futuro.

Recentemente, além de receber uma homenagem da WLA, Braga também foi escolhido para ocupar um cargo na entidade. Ocupando um lugar como membro do Comitê da WLA, ele afirma que vai cuidar da questão de credibilidade e segurança das loterias em nível de Estado no Brasil, interagindo com outros países que participam da organização. No âmbito de apostas esportivas, afirma que vai procurar resolver problemas de possíveis manipulação de resultados e prevenção à lavagem de dinheiro, além do combate ao jogo ilegal.

Como a Caixa vai trabalhar com a LOTEX

O processo da LOTEX, apostas esportivas, sofreu um atraso e teve o leilão remarcado para o próximo mês de fevereiro. A Caixa não poderá entrar na disputa, mas pretende atuar com apostas esportivas no futuro.

Mesmo impedida pelo edital da LOTEX, por decisão do antigo Ministério da Fazenda, atualmente Braga vem trabalhando para compor um eventual acordo operacional para liberação da rede de lotéricas para a venda das apostas esportivas no futuro.

A LOTEX foi aprovada pelo Congresso através da MP 846, estando em processo de regulamentação e de leilão para definir os players que irão atuar nesse mercado. Para a Caixa, de acordo com Braga, atuar junto às apostas esportivas poderá gerar maior receita, uma vez que a rede de lotéricas está instalada no Brasil inteiro.

Braga afirma que a Caixa é forte e tem uma marca respeitada, uma rede de comercialização bastante competente e um site de apostas bem estruturado e, dessa forma, pretende trazer mais produtos que possam melhor atender seus clientes.

Um dos maiores empecilhos, segundo ele, é o fato de que cada produto lotérico depende de uma lei específica para sua aprovação. A sugestão é que o governo possa criar um regulador de loterias, permitindo a criação de novos produtos, tornando o processo mais ágil e possibilitando mais fácil acesso aos apostadores.

Além disso, Braga insiste na criação de uma regulamentação melhor para as apostas, inclusive as esportivas, que ainda estão nesse processo. Mesmo que hajam outros concorrentes no mercado além da Caixa Econômica, o executivo entende que existem oportunidades para todos e garante a continuidade na luta para que as lotéricas também possam entrar nesse mercado.

Com o novo governo, Braga diz que a área de loterias da Caixa está devidamente preparada e possui uma equipe bastante competente. A mudança de governo, portanto, não deve interferir nos processos já implementados e, portanto, as lotéricas devem aguardar melhorias na economia para que consigam melhores receitas.

 

Fonte: Exclusivo GMB

Deixe uma resposta