Resumo da reunião entre a FEBRALOT e a Caixa

reunião FEBRALOT

É de conhecimento geral de que a instituição dos negócios lotéricos é de suma importância para a estruturação econômica e o bem-estar da população e até mesmo do Governo Federal. Foi reafirmando tais conceitos que Deusdina dos Reis, a vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias, abriu a reunião de produtos lotéricos ocorrida no dia 21 de janeiro de 2016.

Posteriormente, a vice-presidente prolongou seu discurso explanando os acontecimentos recentes e a repercussão negativa em torno do concurso nº 1764 da Mega Sena, que levou a presidência da Caixa criar o grupo de trabalho Sala de Situações de Loterias para averiguar e analisar questões pertinentes das loterias federais.

 

Os motivos que levaram a reunião

No final de 2015 os lotéricos ao lado do sindicato, a FEBRALOT, reclamaram sobre o encalhe de bilhetes ocorrido no final de ano, em especial sobre as polêmicas em torno do jogo da nº 1764. Em dezembro do mesmo ano, especificamente dia 31, os envolvidos entraram em contato com a Caixa Econômica Federal solicitando melhorias no setor, principalmente sobre o encalhe, que tende a ser maior nos dois primeiros meses do ano.

Outras discussões também foram levadas em consideração naquele momento, pois o planejamento lotérico formado pela Caixa ocorreu em 2014, visando os resultados nos dois anos subsequentes. Porém, na época o país não amargurava uma crise econômica tão agravante como o início de 2016 tem amargado. A alegação é que sem ter capacidade de prever isso, o planejamento estaria falho, portanto, deveria ser reorganizado.

Em primeira instância a Caixa Econômica Federal autorizou o repasse de encalhe de janeiro e fevereiro por levar em consideração que o início do ano tende a ser naturalmente menos movimentado e isso somado a crise financeira torna o agravante muito mais sério. Desse modo, no dia 21 de janeiro de 2016, na sede da Matriz da Caixa Econômica Federal, ocorreu a reunião entre os executivos da Caixa junto a Comissão de Jogos da Federação para analisar futuras propostas a respeito dos produtos lotéricos.

 

O resultado e as propostas de melhorias

Os integrantes da Comissão Técnica de Produtos Lotéricos, que contou com a presença de executivos da Caixa Econômica Federal de diversos Estados brasileiros, se baseou em propostas de melhorias e analises de dados para poder esclarecer a condição atual dos produtos lotéricos a fim de propor diversas melhorias para o setor.

Dentre os assuntos abordados estava a proposta que propunha um maior número de informação a despeito dos prêmios principais das lotéricas. Detalhes poderiam ser expostos no próprio site da caixa, como o tipo de jogo, se foi bolão ou não, os números apostados, local de venda, e assim sucessivamente. A condição abordada sobre a transparência no setor foi bem recebida por todos os presentes da reunião, que tinha como foco justamente as polêmicas em torno do já mencionado jogo da nº 1764 da mega sena.

Até o exato momento ficou acertado uma proposta de melhoria relacionada a comunicação de produtos lotéricos, visando maior número de vendas, mídias alternativas de comunicação além do tradicional rádio e TV e uma reformulação dos sites lotéricos. Outros parâmetros discutidos foram os novos produtos que entrarão no mercado, como a nova Quina, que deve começar no final de fevereiro e a nova loteria instantânea, que entrará em vigor no final do ano.

Ademais, mesmo com as propostas e discussões, o assunto não se deu por encerrado na reunião do dia 21 de janeiro de 2016, portanto, os presentes agendaram uma nova reunião da Comissão Técnica de Produtos Lotéricos para o dia 10 de março de 2016. A reunião também ocorrerá na Matriz I da Caixa Econômica Federal, no 20° andar do Edifício Sede da Caixa.

 

 

Neimar Mariano de Arruda é Lotérico e Fundador da DouraSoft,
Administrador de Empresas, Consultor em Gestão Empresarial e
Especialista em Governança de Tecnologia da Informação
(67) 9.9698-3422

 

Deixe uma resposta