Fiados, por que acompanhá-los e como fazer isso de maneira eficiente?

Por que acompanhar fiados?

Por que acompanhar fiados

Você aceita fiados na sua lotérica? Se sim, como faz para acompanhar esses mesmos fiados que você admite? Você realiza cobranças regularmente? Como recebe os valores devidos? Sabe dizer quantos clientes estão devendo a lotérica neste exato momento? Desses clientes, qual é o percentual de clientes inadimplentes?

Estas perguntas são questões muito importantes para que a gestão financeira de uma lotérica possa gerar bons resultados, sem comprometer o relacionamento que o lotérico e a lotérica tem com amigos e clientes em geral.

Pensando nisso tudo, decidimos desenvolver este texto com a finalidade de discutir algumas questões essenciais no controle dos fiados. Vamos lá…

Fiado: ninguém gosta de ser cobrado

Certa vez, um amigo lotérico se desabafou conosco e revelou: alguns clientes não são razoáveis… Outro dia, fui cobrar uma dívida que um cliente tinha com a lotérica e que estava atrasada havia dois meses. Ele me recebeu mal, não pagou, e ainda achou um absurdo eu ir até a casa dele para cobrá-lo.

O mercado está cheio de casos assim e histórias que se repetem. Alguns clientes são bons pagadores, outros tem maior dificuldade em lidar com isso, mas o que parece comum a todos eles é que ninguém gosta de ser cobrado.

Esta realidade nos força a concluir que o melhor a fazer é não aceitar o fiado, pois é preferível que a pessoa se chateie com você pela sua negação em não aceitar o fiado, do que terminar se chateando no momento seguinte com a sua cobrança, que pode colocar o relacionamento em um risco ainda maior, por conta da sua inadimplência e do orgulho ferido.

Quem faz fiado pode tomar calote: é preciso saber que parte do ganho da sua lotérica pode estar perdido

Toda vez que a gente opta por fazer fiado, corremos o risco de não receber. De outro lado, toda vez que a gente não faz fiado, corremos o risco de não vender. Entretanto, se a matemática dos riscos envolvidos em ambos os casos for feita corretamente, você vai notar que costuma ser bem melhor e, portanto, menos arriscado, não fazer o fiado.

Mas… Sabemos que a realidade acaba nos exigindo alguma flexibilidade e pode ser que o fiado seja inevitável e inescusável em algumas circunstâncias. Se este for o seu caso, as próximas linhas podem ser muito úteis…

Você precisa saber a hora de parar e precisa conhecer as taxas de inadimplência da sua lotérica

Caso você admita que alguns clientes fiquem em débito com a sua lotérica, é imprescindível que você faça um controle rígido e disciplinado dessas contas.

Para que o acompanhamento seja eficaz, você precisa registrar valores, clientes, datas e todas as informações necessárias para que isso não gere estresse e descontrole em um momento posterior.

Com estas informações, é altamente recomendável que você calcule as taxas de inadimplência da sua lotérica. Se a mesma estiver muito elevada, talvez seja o caso de tomar uma decisão no sentido de limitar os fiados para alguns clientes, ou a situação pode sair do seu controle.

Como fazer este acompanhamento de modo eficaz? Como acompanhar fiados sem perder muito tempo com isso e sem abrir mão de um controle confiável?

Quando falamos de fiado, estamos falando de um importante elemento na gestão financeira de algumas lotéricas, que desenvolveram uma relação de confiança com seus clientes ao longo do tempo e acabam admitindo alguns débitos em certas ocasiões.

A questão aqui é: acompanhar os fiados da sua lotérica pode ser bem mais simples e fácil do que você imagina, pois você pode contar com o AGIL para lhe ajudar na gestão completa de toda a lotérica. Descubra como podemos lhe ajudar entrando em contato agora mesmo, ligue para (67) 2108-7007 ou envie-nos um email para comercial@dourasoft.com.br.

 

 

Neimar Mariano de Arruda é Lotérico e Fundador da DouraSoft,
Administrador de Empresas, Consultor em Gestão Empresarial e
Especialista em Governança de Tecnologia da Informação
(67) 9.9698-3422

Deixe uma resposta